domingo, 7 de fevereiro de 2010

Turritopsis nutricula - A medusa imortal

+A +/- -A







A água-viva, esse animal fascinante que aparece do nada nas praias e deixa os banhistas ardendo, acaba de revelar para aos pesquisadores mais uma de suas facetas incríveis e exóticas.

Uma espécie muito curiosa desse animal é a Turritopsis nutricula [na foto logo abaixo]. Seu ciclo de vida começa com a fecundação de um ovo, que daí, desenvolve-se numa larva minúscula e ciliada. Essa larva começa a vagar pelas águas à procura de um substrato para se fixar, como um navio naufragado, uma rocha ou qualquer coisa do tipo que sirva de apoio. Ao se fixar em tal lugar, desenvolve-se um pólipo, que parece um galhinho cheio de ramificações. É como se fosse um pequeno arbusto. Essas ramificações na verdade são pequeninas águas-vivas que ao atingirem a maturidade vão se soltar do pólipo e começar a vagar sozinhas pelo oceano. Até aí, não foi descrito nada que fosse anormal, tratando-se de uma água-viva.


A grande diferença no curioso caso da Turripsis nutricula, é que após atingir o tempo de vida em que, normalmente, uma água-viva morreria, ela simplesmente...Continua vivendo! Explicando melhor: ao invés de morrer, ela simplesmente começa a regredir seu estado biológico. Então, de uma água-viva madura, passa para uma jovem, que depois vira um pólipo e depois uma larva. Assim, o ciclo recomeça e eis que surge novamente uma água-viva.

Pensando um pouco sobre a vida em geral, podemos concluir que o equilíbrio da cadeia alimentar é mantido, dentre outros fatores, graças à mortalidade dos seres, que mesmo sem servir de alimento para outros, alguma hora vão perecer e não haverá uma superpopulação do indivíduo em questão. Agora imagine o impacto ambiental de um animal com as características da nossa pequenina Highlander. Como era de se presumir, elas estão se espalhando pelos oceanos numa velocidade incrível e o medo dos cientistas agora é que elas venham a perturbar drasticamente o equilíbrio das espécies marinhas do planeta.

O lado bom disso, é que da pesquisa desse seres, podem surgir novidades sobre o retardamento do envelhecimento humano, cura de doenças e até sobre nossa tão cobiçada imortalidade. Talvez a Turritopsis nutricula venha a complementar as técnicas da criogenia, que é a técnica responsável pelo congelamento de corpos para que no futuro, os cientistas descubram como acordá-los.




6 comentários:

*MáH disse...

Adorei seu blog! Parabens... muito interessante sobre essa espécie de agua-viva aí, incrivel!!

Felipe C Novaes disse...

Ah valeu! rs Seja bem-vinda! haha

gledson luan disse...

Parabéns! muito bom o artigo, já adicionei aos meus favoritos! ^^

Felipe C. Novaes disse...

Valeu! Espero que goste também dos outros posts!

elana disse...

kkk tô explicando aqui para a minha avó que essa água viva é biologicamente imortal ela não ta entendendo nada kkk

Felipe C. Novaes disse...

auhsauhsauh E assim mesmo....o pessoal mais novo às vezes já não entende

Postar um comentário